Cultura dos brechós

Primeiro vamos começar esclarecendo a diferença entre brechó, bazar e bazar beneficente, vou resumir de uma forma bem sucinta sem muito arrodeio. Brechó, é a venda de roupas antigas e ou usadas, bazar é quando uma loja faz uma promoção da peças que estavam presas no estoque, e bazar beneficente é a venda de coisas para ajudar em alguma causa social, essa coisas podem ser roupas ou objetos e podem ser usados ou novos!

Lá fora já existe há muito tempo um movimento grande quando se diz respeito à brechós, as pessoas gostam de consumir em brechó, ou por comprar peças com grande personalidade (como peças vintage, por exemplo), ou por ter uma preocupação em consumir de uma forma consciente e desacelerar o consumo desenfreado. Aqui no Brasil , o cenário ainda não é o mesmo, existia um certo preconceito de roupa velha, de defunto... Coisa que de uns anos pra cá vem mudando.





Consumir em brechó é uma forma de consumir consciente, pois é como uma política de sustentabilidade, já que o mesmo contribui na redução de lixo têxtil e quando reaproveitamos peças economizamos matéria prima da natureza. Já fiz um post aqui no BLOG sobre CONSUMO CONSCIENTE, como ele é importante e como o mundo clama por um consumo mais consciente (para acessar o post clique aqui).

Com o crescimento dos brechós, começou a surgir os brechós onlines, seja eles, e-commerce, instagram, facebook. Com isso foi possível alcançar um número maior de pessoas que não costumavam consumir em brechós. Depois do Enjoei, a fama dos brechó cresceu e muito. Isso é muito bom pois a alternativa de você comprar uma peça que já foi usada e que provavelmente iria pro lixo, te dá uma possibilidade de fazer sua parte como responsabilidade social. Além de possivelmente ser uma roupa que poucas pessoas tenham, você pode conseguir expressar a sua identidade social, ter uma peça só sua, com a sua cara e você também pode customizar. Sem contar que é uma boa chance de consumir roupa de uma forma mais barata, em meio da crise econômica que vivemos atualmente em nosso país.

Eu tenho uma lojinha no enjoei chamada Tendere Brechó, que tem como conceito moda circular, por que além de incentivar o consumo consciente vendendo roupas usadas, as peças que não estão em bom estado para vendas eu aplico a técnica do Up cycle transformando em acessórios ou até mesmo em roupas e tudo são peças exclusivas.

Então é isso gente, espero que vocês tenham gostado do post, toda segunda tem posts assim, de moda e comportamento. E vocês, o que acham de consumir em brechó? Conta aqui nos comentários a sua experiência.


CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe aqui seu Comentário!