Consumo consciente

Começo o texto esclarecendo que consumo consciente não significa deixar de consumir, mas sim ter consciência que é necessário consumir com responsabilidade e sabedoria. É  ter a consciência de que roupa não é descartável e que alguém fez essa roupa muitas vezes em condições de trabalho escravo. Isso só para poder satisfazer esse consumo desenfreado e desnecessário. Ao comprar/consumir uma roupa é necessário existir um motivo real, para que ela vá para o seu armário, contanto que esses motivos não sejam somente por que é barato, está na moda ou é bonitinha. Você realmente tem que gostar se identificar e precisar daquela peça, ela tem que cumprir a função básica de roupa que é expressar a sua identidade. Você tem que ter consciência na hora de consumir, se você quer aquela roupa para satisfazer um mero desejo, ou uma necessidade.

Para consumir de maneira responsável é necessário deixar de alimentar esse sentimento de prazer momentâneo associado ao consumo desnecessário, muitas vezes você não precisa daquela roupa, mas compra ou por que está na moda ou pra se sentir inserida em algum meio, ou  até mesmo por ter preço baixo e usa a roupa duas ou três vezes e depois joga fora. Quantidade não é sinônimo de qualidade, é por causa desse consumo desenfreado e por impulso que mesmo com o armário cheio de roupas, ainda existe aquela sensação de não ter o que vestir. Aquelas roupas estão ali no seu armário por que foram compradas para satisfazer um mero desejo que já passou, e não por causa de uma necessidade, ou por que você realmente se identificava com a roupa e ela expressava a sua identidade.

Você não precisa deixar de consumir, mas sim desacelerar o consumo, consumir com mais responsabilidade, ver se realmente você precisa daquela roupa, se ela combina com você, se você realmente vai usa-la, comprar em brechó, fazer trocas de roupas, reformar as próprias roupas, comprar na mão de quem produz, esse movimento ta crescendo bastante, tem muitos micro-empreendedores que criam e produz, assim sabemos que não estamos alimentando um trabalho escravo. 

Aprender a consumir consciente é um favor ambiental e social. A indústria têxtil é a segunda mais poluente do mundo! Quatro milhões de pessoas, a maioria delas mulheres em países em desenvolvimento, trabalham em condições escravistas, para a poder produzir roupas bem rápido e com o preço super baixo. Já passou da hora de desacelerar não é mesmo? 

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe aqui seu Comentário!